Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Você está aqui:
Início do conteúdo da página

Sobre Nós

Publicado: Quinta, 10 de Outubro de 2019, 18h10

eedus assinatura horizontal reduzida coloridaEm setembro de 2015, o Brasil divulgou novos objetivos em relação ao clima e anunciou que até 2025 reduziria suas emissões de gases de efeito estufa (GEE) em até 37% em comparação com os níveis do ano de 2005. Além do uso maior de energias renováveis (ER), o Brasil visa atingir melhoria (sem especificação mais precisa) da eficiência energética (EE) de 10%.

Segundo o Programa do Meio Ambiente das Nações Unidas, as cidades respondem, no mundo inteiro, por mais de 70% do consumo de energia e por 40% a 50% do volume de emissões dos GEE. Segundo informação da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), em 2018, 21,4% da energia elétrica produzida no Brasil foi consumida em prédios residenciais, e esta tendência é crescente. Isso contribui para um volume total de emissões de cerca de 18,6 milhões de toneladas de CO2.

Com o intuito de diminuir o déficit habitacional no país e ao mesmo tempo impulsionar a economia através da indústria da construção disseminada pelo país, o Governo Federal começou a investir maciçamente na construção de habitações de interesse social no marco do PMCMV. Desde 2009 foram investidos mais de 414 bilhões de reais em recursos financeiros neste Programa que já entregou mais de 5,1 milhões de residências. Apesar da importante iniciativa do Programa Brasileiro de Qualidade e produtividade do Habitat (PBQP-H) e do sucesso da produção habitacional em larga escala, nota-se ainda um importante espaço necessidade de melhoria na qualidade em geral e das condições de conforto destas moradias. Um exemplo é o aumento do consumo energético devido ao uso de aparelhos de ar-condicionado. 

O projeto EEDUS – Eficiência Energética para o Desenvolvimento Urbano Sustentável atua com o objetivo de apoiar o Brasil na exploração de potenciais de eficiência energética na produção habitacional e redução das emissões de gases de efeito estufa a ela associada, contribuindo dessa forma para a implementação de uma política energética climaticamente neutra e sustentável, no marco do desenvolvimento urbano sustentável no Brasil. O referido projeto foi pactuado entre a Secretaria Nacional de Habitação do Ministério do Desenvolvimento Regional do Brasil e o Ministério Federal da Cooperação Econômica e do Desenvolvimento (BMZ) da Alemanha, sendo a parceria executada pela Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável - Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ).

O projeto prevê uma abordagem em múltiplos níveis e com múltiplos atores, combinando a assessoria e qualificação político-técnica da entidade responsável pelo PMCMV e instituições com relevância nacional. Os eixos de atuação são:

• Integração de critérios de eficiência energética nas diretrizes de fomento de programas federais de habitação social.

• Métodos, processos e instrumentos novos ou adaptados para o planejamento, a implementação e o monitoramento de programas federais de habitação social.

• Fortalecimento da base de conhecimentos e disponibilização de informações.

A cooperação teve início em janeiro 2018, sendo a conclusão prevista para o meio de 2021.

É esperado ao final do projeto que os tomadores de decisão do âmbito político e econômico tenham propostas para o aumento da eficiência energética na produção de habitação social, que processos, instrumentos ou métodos para a mudança ou transposição de diretrizes relevantes relacionadas à eficiência energética em programas federais de habitação social sejam apresentadas e que capacitações em eficiência energética tenham sido estabelecidas

Fim do conteúdo da página